Em Defesa da Família

Em Defesa da Família


Documentário sobre o preconceito às famílias homoafetivas é lançado na internet


Redação MDsh


No Dia Internacional Contra a Homofobia, documentário “Em Defesa da Família” foi lançado na internet. O curta-metragem, que trata do sobre preconceito no Congresso Nacional, foi selecionado para festivais em seis países e ganhou prêmios na Grécia, no Rio de Janeiro, em Pernambuco e Brasília.

Produzido a partir de uma campanha de financiamento coletivo, o documentário está disponível, na íntegra, na página do projeto “Em defesa da família”. Nele, são abordados temas ainda polêmicos, como preconceito e definição legal de família, a partir do cotidiano de Marília e Vanessa, e seus três filhos: Samuel, Felipe e Mateus.

A rotina da família seria banal, não fossem as interferências sonoras que invadem constantemente, e com violência crescente, a vida do casal e das crianças. Os sons vêm do Congresso Nacional: são discursos de parlamentares, proferidos no Plenário e em comissões técnicas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal.

“Neste momento, em que a intolerância ganha força política e social, é preciso aprofundar e humanizar o debate que ocorre no Congresso, focando nas pessoas diretamente afetadas por ele”, afirma Daniella Cronemberger, diretora do curta. “O discurso invade a vida dessa família. Ele interfere na harmonia do cotidiano, agride, cria monstros inexistentes. Mas o que o filme diz é: precisamos focar o olhar nas pessoas. As pessoas são mais importantes, o amor é mais importante. E acredito que o amor pode esclarecer mais do que um discurso”, acrescenta.

Assista AQUI AO TRAILER do documentário

Festivais e prêmios

Finalizado em janeiro de 2016, o filme iniciou carreira nos festivais de cinema com o prêmio de melhor filme ativista no Outview Film Festival, em Atenas, na Grécia. Também ganhou o prêmio do júri popular de melhor curta nacional do Rio Festival de Gênero & Sexualidade (Rio de Janeiro) e os prêmios de melhor montagem e de melhor curta pelo júri popular do Festival de Cinema de Triunfo, no sertão Pernambucano. Foi vencedor ainda do prêmio Athos Bulcão do Festival Internacional Curta Brasília, concedido pela Associação Brasiliense de Cinema e Vídeo (ABCV).

O curta também foi selecionado para participar do Short Film Corner (Festival de Cannes, na França), do Changing Perspectives (Turquia), do OutFestPerú, festival de cinema LGBT que ocorre em Lima, do Queer Hippo, festival internacional em Houston, nos EUA, e do Festival Mix Brasil, em São Paulo.

O documentário foi produzido pela Olho de Gato Filmes, produtora brasiliense. Mais de 300 pessoas doaram um total de R$ 38.460, por meio de uma plataforma de financiamento coletivo, na internet.

Bandeira conservadora

A frase "Em Defesa da Família" é uma das principais bandeiras de parlamentares conservadores. A cada eleição, no Brasil, cresce o número de candidatos que se utilizam desse bordão na campanha.

Em 2007, foi criada no Congresso Nacional a “Frente Parlamentar em Defesa da Família”, que conta com mais de 200 membros, entre deputados federais e senadores – movimento replicado nos Legislativos estaduais e municipais.

Defender a família, para esses parlamentares, significa defender somente aquela formada por um homem e uma mulher, e combater com veemência o que estiver fora desse padrão. Um exemplo disso é o projeto de lei batizado de Estatuto da Família.

A proposta, aprovada em outubro de 2015 por comissão especial da Câmara dos Deputados, reconhece família como “a entidade familiar formada a partir da união entre um homem e uma mulher, por meio de casamento ou de união estável, e a comunidade formada por qualquer dos pais e seus filhos”. O texto ainda deve passar pelo Plenário da Câmara e pelo Senado para virar lei.

Sinopse

Vanessa e Marília formam uma família há 13 anos e são mães de três meninos. O cotidiano é cheio de obrigações, e as mães precisam dividir as tarefas. Entre um piquenique com amigos e a festa junina da escola, a família é obrigada a enfrentar ameaças externas. Seus direitos civis correm perigo.

Ficha Técnica

Direção - Daniella Cronemberger
Produção Executiva - Getsemane Silva
Direção de Produção - Hiran Albuquerque
Roteiro - Daniella Cronemberger e Getsemane Silva
Direção de Fotografia - Cícero Bezerra
Montagem - Sergio Azevedo
Segunda Direção de Cena - Cecília da Fonte
Edição de Som e Mixagem - Mauricio Fonteles
Trilha Sonora - Décio Gorini
Som Direto - Alisson Machado
Colorização - André Carvalheira
Animação e créditos - Marcia Roth
Identidade visual - Claudia Schirmback
Assistente de Produção - Mariane Cunha
Fotografia still e teaser - Raul de Lima
Produção - Olho de Gato Filmes
Coprodução - Lisaura Cronemberger
Apoio - Associação Brasileira de Famílias Homoafetivas (ABRAFH), Instituto Brasileiro de Direito de Família (IBDFAM), PicniK, Cristina Lerosa, Marcos Gerhardt Lindenmayer, Maria da Penha Nery, Narciza Leão, Rute Cronemberger, Tatiana e Robson Vieira.
Duração - 24 minutos
Local – Brasília (DF), Brasil
Ano – 2016